Hoje acordei com medo… sentimento que a alguns tempo não vinha tão à tona. Na verdade, fui dormir com ele. E os sonhos tornaram-se pesadelos. Foi uma noite mal dormida. Ao acordar, me deparei comigo mesmo. Pra que foram inventar o espelho? Tentei fugir. Impossível. Eu estava ali. Escovando os dentes, os cabelos. O silêncio, que antes me acalentava, naquele instante me destruía por dentro. Então olhei para dentro de mim e desfiz meu drama. Fui até a sala e liguei o som. O silêncio agora vem de dentro. A vida continua. Leio que “o essencial é invisível aos olhos”. Penso que “só se vê com o coração”. Ouço Renato Russo cantar “Os bons morrem jovens”. E você me vêem à cabeça. Tenho que pausar a música. Atendo sem saber quem é. Alguém me avisando o que eu já sabia: você partira. Só tive que lembrá-la que seu alegria e seu encanto permanecera. E meu medo se foi de vez. Pois agora, não tenho um anjo olhando por mim, tenho dois.

Os Bons Morrem Jovens

Legião Urbana

Composição: Renato Russo

É tão estranho
Os bons morrem jovens
Assim parece ser
Quando me lembro de você
Que acabou indo embora
Cedo demais

Quando eu lhe dizia
Me apaixono todo dia
É sempre a pessoa errada
Você sorriu e disse
Eu gosto de você também
Só que você foi embora…
Cedo demais!

Eu continuo aqui
Meu trabalho e meus amigos
E me lembro de você
Em dias assim
Dia de chuva
Dia de sol
E o que sinto não sei dizer…

Vai com os anjos
Vai em paz
Era assim todo dia de tarde
A descoberta da amizade
Até a próxima vez…

É tão estranho
Os bons morrem antes
Me lembro de você
E de tanta gente que se foi
Cedo demais!
E cedo demais…

Eu aprendi a ter
Tudo o que sempre quis
Só não aprendi a perder
E eu que tive um começo feliz…
Do resto não sei dizer

Lembro das tardes que passamos juntos
Não é sempre mais eu sei
Que você está bem agora
Só que neste mundo
O verão acabou.

Cedo demais!